Luiz Fernando Carvalho é o cineasta ativista convidado do filme-manifesto Em Nome de Quê? em parceria com a ONG Uma Gota No Oceano

O vídeo-manifesto “Em nome de quê?”, assinado pelo cineasta ativista convidado Luiz Fernando Carvalho, foi lançado no Fórum Mundial da Água, em março de 2018. O curta tem por objetivo provocar questionamentos na sociedade. A campanha, da ONG Uma Gota no Oceano, joga luz em temas cruciais para a existência humana, como a obstrução de rios, a destruição de florestas, o impacto gerado na vida de povos tradicionais, o desrespeito a lugares sagrados e ao ecossistema. As imagens foram gravadas na Bacia do rio Juruena, no Mato Grosso, região que é berço dos rios que alimentam as maiores e principais bacias hidrográficas do país. “Em nome de quê?”, com narração de Dira Paes, é uma campanha guarda-chuva, que parte da mobilização dos brasileiros em relação às ameaças que nossos rios sofrem, e abriga outros temas também de fundamental importância na luta pela preservação do meio ambiente e dos povos tradicionais.

Diretor Luiz Fernando Carvalho realiza ciclo de Oficinas Teóricas com especialistas em Clarice Lispector, filósofos e psicanalistas para equipe e elenco dos seus dois próximos filmes

O diretor Luiz Fernando Carvalho realizou seu ciclo de Oficinas Teóricas, onde os convidados apresentaram questões relacionadas aos dois próximos filmes do cineasta – Objetos Perdidos e A Paixão Segundo G.H. – a partir da obra homônima de Clarice Lispector.

Realizadas no seu Galpão Criativo, de 22 a 30 de maio, em São Paulo, as oficinas reuniram filósofos, sociólogos e psicanalistas, que se encontraram com Equipe e Elenco.

O filósofo Franklin Leopoldo e Silva encerrou na quarta-feira as Oficinas Teóricas, brindando à todos com três horas de literatura, filosofia e poesia.
Carlos Byington e Maria Rita Kehl, apresentaram leituras psicanalíticas relacionadas ao Amor.

Na plateia, elenco, equipe e convidados como o escritor Milton Hatoum, os atores Selma Egrey, Matheus Abreu e Bruna Caram e as companhias de teatro HiaTus, Tumulto, 19, Satirus, Digna e Tijolo.

Especialistas em Clarice Lispector – como Yudith Rosenbaun, Rafaela Zorzanelli, Flávia Trocolli e Nadia Gotlib, autora da biografia da escritora – e o compositor e ensaísta José Miguel Wisnik elucidaram aspectos da trajetória da Vida e Obra da escritora, atravessando temas como o Sagrado e a Transgressão na linguagem literária a partir do romance A Paixão Segundo G.H., que será filmado pelo cineasta e protagonizado pela atriz Maria Fernanda Cândido.

Completaram o painel das Oficinas, Marc Berdet e Marcio Seligmann, estudiosos da obra de Walter Benjamin, que apresentaram reflexões relacionadas ao roteiro de Objetos Perdidos, escrito pelo próprio Luiz Fernando Carvalho.

 

Maria Fernanda Cândido e coreógrafo Ismael Ivo participam do concerto de abertura do Galpão de Processos Criativos dos próximos filmes do diretor Luiz Fernando Carvalho, em São Paulo

Música, dança, literatura. Estes elementos, que fazem parte do processo criativo de Luiz Fernando Carvalho, compuseram o concerto que marcou a abertura do Galpão de Processo de Criação do cineasta, onde serão realizadas as produção de seus próximos filmes, A Paixão Segundo G.H e Objetos Perdidos, entre outros projetos, em parceria com a Academia de Filmes, em São Paulo.

A atriz Maria Fernanda Cândido leu trechos do livro A Paixão Segundo G.H.. O Bboy Taz Crewest fez um duelo da dança de rua com a música clássica tocada por um violinista. Bailarinos se apresentaram ao som da orquestra Mundana Refugi. E o coreógrafo e bailarino Ismael Ivo, que atuará no filme Objetos Perdidos, fez uma performance com a cantora Marina de La Riva, que encerrou a noite com pocket show acompanhada de oito músicos cubanos.

 

 

A produtora Academia de Filmes finaliza Galpão de Criação do diretor Luiz Fernando Carvalho, em São Paulo, para seus próximos projetos.

Galpão